campanha

PETIÇÃO: RIMAFLOW VIVERÁ!!! PETIÇÃO ASSINADA POR JOÃO PEDRO STÉDILE RiMaflow, atrvés de suas atividades laboráis (a Cooperativa e as oficinas artesanais) as atividades culturais e a promoção de uma rede de economía social e popular Fuorimercato, contribuiu para dar uma face mais solidária e humana a periferia e as realidades do sudoeste milanês, convertendo-se em uma referencia importante inclusive a nível internacional pela sua capacidade de resgatar setores débeis da sociedade. A investigação na qual se encontra implicada, acusada de ser uma associação criminosa, é uma contradição justamente pelo profundo valor ético e social demonstrado por seus trabalhadores e trabalhadoras. A investigação não pode anular a toda a comunidade RiMaflow: A Cooperativa tem que seguir vivendo e seu representante legal ser posto em liberdade! Expressamos nossa solidariedade a RiMaflow, que se traduza concretamente em apoio económico para os gastos legais e para enfrentar o sequestro dos bens, desde as contas correntes, que somariam com o pasar do tempo a dezenas de milhares de euros. Necessitamos ativar iniciativas de recolhida de fudos em forma de DOAÇÕES EMPRÉSTIMOS DE MÚTUO SOCORRO (pelo menos para 6 meses – um ano) Os dados c/c IT93S 05018 01600 000000158008 di Banca Etica BIC/Swift CCRTIT2T84A dirigido a Ass. Occupy Maflow, especificando la razòn: “donaciòn” o “prèstamo por … meses/años”. Assinaturas: - Movimento dos trabalhadores rurais Sem Terra – Via Campesina, Brasil - Joao Pedro Stedile, MST, Brasil PETIÇÃO ORIGINAL ASSINADA PELA COOPERATIVA RIMAFLOW RIMAFLOW VIVERÁ!! Obrigaram a cooperativa RIMAFLOW ao fechamento e prisão de seu representante legal com acusações infames. Não conseguiram anular seu projeto social. MASSIMO TEM QUE SR LIBERTADO LOGO! Tentaram obstacularizar com todos os meios possíveis nosso projeto de recuperação de uma fábrica abandonada em Trezzano sul Naviglio (Milàn), um projeto de reconstrução mutualístico, iniciado após a demissão de 330 pessoas. A força de ação solidária, o estilo ecológico sustentável, a capacidade de criar 120 postos de trabalho sem nenhuma ajuda, a construção da rede de economía social popular fora do mercado (fuorimercato), o compromisso contra a criminalidade organizada – na qual se encontram implicadas empresas e instituições de todo o sudeste milanês – nos deram a energía para resistir durante quase seis anos e viver uma das experiências mais interesantes de autogestão operária na Itália. Durante este tempo, a RiMaflow se colocou a oportunidade de experimentar a recuperação de matérias primas de estofamento (tapeçaria) de paredes (atividade que passou a representar apenas 3,6% do balanço econômico do RiMaflow e que, na verdade, foi uma perda, sendo um investimento em técnicas de experimentação). Isto foi visto como desculpa para apresentar a RiMaflow como parte de uma rede criminal dedicada ao tráfico ilícito de residuos: a acusação mais infame que se pode fazer a RiMaflow. A implicação em atividades criminais de sociedades com as quais RiMaflow se relacionou através da maquinaria e do material de descarte para a produção não significa em nenhum caso a participação da Cooperativa e de seu representante legal Massimo Lettieri em tais atividades vergonhosas. Isso será demonstrado! Mas, até então, o sequestro de bens móveis e imóveis, das contas correntes e do sistema informático da administração paralizaram violentamente a Cooperativa em todas suas atividades regulares, impedindo o pagamento de salarios, impostos, faturas, obrigações fiscais…que se agravam dramáticamente com o pasar do tempo. Isto não é justo nem tolerável!! A situação é gravíssima: necesitamos de uma campanha extraordinária de resistência. Necessitamos da mobilização e do apoio de todas as associações e coletivos possíveis!!! Cooperativa RiMaflow Associazione Occupy Maflow Fuorimercato, autogestione in movimento www.rimaflow.it www.fuorimercato.com Trezzano sul Naviglio, 1 agosto 2018
Compartilhe:
FaceBook  Twitter