Categorizado | Cidades

Marcha das Vadias reúne 500 pessoas no centro de Campinas

Escrito em 24 novembro 2011 por admin

No dia 24 de setembro, sábado, no centro de Campinas, aconteceu a Marcha das Vadias. A marcha foi organizada por diversos coletivos de mulheres. Às 9 horas da manhã começou a aglomeração no Largo da Catedral. Faixas com os dizeres “Chega de violência sexual contra as mulheres”, “Meu corpo, minhas regras!”, “Não é não!”, entre outras, estavam expostas na praça.

Aos poucos, a praça estava lotada. Mulheres e homens pintavam cartazes e seus corpos. Panfletavam e conversavam entre si e com quem passava na rua 13 de Maio, a mais movimentada do comércio da cidade.

“A Marcha das Vadias passou o seu recado. Não podemos nos calar diante da violência contra a mulher, jamais. E juntas, somos mais fortes e agiremos até que todas sejamos livres”, afirmou o coletivo organizador do ato em seu blog http://marchavadiascampinas.wordpress.com/.

Por que Marcha das Vadias?

A primeira Marcha das Vadias aconteceu na cidade de Toronto, no Canadá, motivada pela palestra de um policial numa universidade. Esse policial afirmou que as mulheres deveriam se preocupar em não sair nas ruas se vestindo como uma Slut (palavra em inglês que quer dizer vadia) para não serem estupradas.

Diante desta declaração, as mulheres da cidade organizaram a primeira marcha, dizendo “o que quer que eu vista, onde quer que eu vá, sim significa sim, e não significa não”, para deixar claro que o estupro é sempre culpa do agressor, e não das peças de roupas, de certo modo de se comportar ou dos lugares que as mulheres circulam. Depois disso, graças a circulação na internet, foram organizadas centenas de marchas em diversas cidades do mundo. A primeira do Brasil foi em São Paulo no dia 4 de junho de 2011, espalhando-se por Belo Horizonte, Brasília, Recife, Natal, Rio de Janeiro, entre outras.

“Ao final, todas éramos Marias da Penha, todas éramos vadias e tiramos as blusas e sutiãs para mostrarmos que somos todas mulheres e queremos ser livres das opressões machistas, capitalistas, racistas, homofóbicas. E rolaram as lágrimas pela emoção da força coletiva mas também pela revolta e indignação diante da dor da violência sentida por todas nós mulheres, sentimentos compartilhados pelos que se indignam diante das opressões e do machismo”

Fonte: marchadasvadiascampinas.wordpress.com

Fotos: Cristina Beskow

Deixe uma resposta