Categorizado | Destaque, Fábrica Ocupada

Novo avanço da luta da Flaskô e Vila Operária!

Escrito em 04 agosto 2011 por admin

Foto: Luciano Claudino

Em 12 de junho completam 8 anos da ocupação e controle operário na fábrica Flaskô. Diante da crise capitalista e a decisão dos patrões de fechar a fábrica os operários levantaram a cabeça e organizaram-se para manter a fábrica funcionando na luta em defesa dos empregos. Ocupando a fábrica e tomando seu controle.

Sem o patrão e a partir do controle operário, da democracia operária, foi reduzida a jornada de trabalho para 30 horas semanais, sem redução nos salários. Sem o patrão, os operários, em conjunto com famílias da região, organizaram a ocupação do terreno da Fábrica e constroem hoje a Vila Operária e Popular com moradia para mais de 560 famílias. Sem o patrão, os operários reativaram um galpão abandonado e iniciaram o projeto “Fábrica de Cultura e Esporte”, com teatro, cinema, judô, futebol, balé e dança Além de cursos e atividades de formação

Desde o início os operários defenderam a estatização da fábrica sob controle dos trabalhadores diante das dívidas dos patrões com o estado. Desde o inicio os operários e operárias se somaram a luta do conjunto da classe trabalhadora. Defendendo a reforma agrária junto com os trabalhadores do campo, defendendo a luta pelas moradias com os operários na cidade, defendendo os direitos e a luta contra os patrões em dezenas e dezenas de fábricas. Defendendo os serviços públicos como saúde e educação junto ao povo e aos trabalhadores do setor publico.

Lutaram desde o inicio pela reestatização das ferrovias junto aos ferroviários, pela reestatização da Vale do Rio Doce e da Embraer, por uma Petrobrás 100% estatal. Os operários da Flaskô organizaram, junto ao Movimento das Fábricas Ocupadas em conjunto com os operários da Cipla e Interfibra 8 caravanas a Brasília para exigir a estatização da fábrica.

Os operários organizam conferencias, seminários, encontros nacionais e internacionais, além de manifestações por todo o Brasil sempre discutindo com sua classe os caminhos da luta. Hoje desenvolvem a Campanha para que a prefeitura Declare a Fábrica e toda a sua área de Interesse Social, dando um passo no caminho da desapropriação das propriedades do patrão para a sua definitiva estatização sob o controle dos trabalhadores.

Com objetivo de sempre dialogar com toda a sociedade, a luta da Flaskô buscou realizar Audiências Públicas. Em maio de 2007, realizamos na Câmara dos Vereadores em Sumaré/SP. Em 20 de maio de 2009 a luta dos trabalhadores da Flaskô foi tema da Audiência Pública na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Em 31 de março de 2011, novamente a luta da Flaskô, juntamente com a Vila Operária, procurou a Câmara dos Vereadores e realizou uma Audiência Pública em Sumaré/SP. As perspectivas estão sendo debatidas, e o Manifesto em apoio à Campanha tem sido um sucesso. Agora, um novo e importante passo precisa ser dado.

Para isso, faremos uma Audiência Pública no Senado, em Brasília, no dia 14 de junho, terça-feira, às 9h e contamos com a presença de todo(a)s apoiadore(a)s na Caravana que estamos organizando. Sairemos no dia 04/07 (segunda-feira) às 14hs e temos a previsão de chegada no dia 06/07 (quarta-feira) às 7h00.

Por tudo isso, convocamos todas as organizações operárias, estudantis, sindicatos, partidos e organizações políticas, personalidades a ajudarem os trabalhadores da Flaskô rumo à vitória, participando da Caravana, subscrevendo o referido manifesto e multiplicando iniciativas de apoio a Declaração de Interesse Social da Flaskô permitindo com isso a regularização de 560 moradias na Vila Operária, permitindo a transformação da Fábrica de Cultura e Esportes num verdadeiro centro cultural e esportivo público, além de estatizar a fábrica, tornando-a pública, sob o controle dos operários que resistem há 8 anos com seu suor e luta.

Deixe uma resposta