Categorizado | Cidades

Desenvolvimento pra quê? Pra quem?

Escrito em 04 agosto 2011 por admin

Os países “desenvolvidos” devastaram seus próprios ambientes naturais para crescer economicamente. Depois de destruírem seus recursos naturais, agora os países desenvolvidos buscam outros países para explorar, como o Brasil. Então, se os países ricos destruíram seu ambiente nós devemos fazer o mesmo para crescer também? Não!

É bobagem dizer que quem for contrário a esse modelo quer impedir o desenvolvimento do Brasil. Há várias formas de enxergar o desenvolvimento. Muitas pessoas no Brasil são ao mesmo tempo contra a dominação externa de outros países sobre seu território e contra a destruição ambiental. É possível extrair riqueza do ambiente sem destruir tudo.

O problema é que olhamos para os países “desenvolvidos” e queremos ser como eles, usar as suas roupas, falar sua língua, aplicar os seus modelos, sem levar em conta as nossas próprias características. Uma imitação nunca sai igual ao original. Um exemplo típico disso são as roupas dos executivos: ternos e gravatas engomados num calor de mais de 40°C não faz sentido!

Vamos imitar até as maiores idiotices desses países, como a devastação ambiental? Somos diferentes e precisamos criar nosso próprio modelo de desenvolvimento, porque só copiar não funciona.

Quem vem destruindo nosso meio-ambiente?

Os senhores de engenho da época colonial no Brasil se tornaram os grandes fazendeiros que, por sua vez, se tornaram os agro-empresários de hoje. Eles são herdeiros dos privilégios de classe e do roubo das terras dos índios, controlam o Estado em benefício próprio e fazem de tudo para manter seu poder. São herdeiros dos lucros da exploração do trabalho escravo, presente ainda hoje em muitas fazendas. E, por fim, são eles que plantam a soja, a cana e criam o gado para atender sobretudo aos interesses externos, quase tudo vai pra exportação.

O agronegócio é responsável por boa parte da devastação das grandes áreas verdes do Brasil. Os europeus querem carne, os chineses querem soja, os estadunidenses querem etanol (álcool). Só não querem os enormes impactos ambientais causados por esses cultivos. Esss ficam com o povo brasileiro! Quanto vale a Amazônia? O Cerrado? Quanto vale um rio ou um povo? Não há dinheiro que pague isso!

Desmatar a floresta e matar agricultores

O agronegócio não se importa com as pessoas, destrói milhares de vidas, além da natureza. Quem se coloca contra isso muitas vezes acaba sendo assassinado, como os agricultores assassinados na semana passada no Pará e em Rondônia: José Claudio Ribeiro da Silva, Maria do Espírito Santo da Silva, Erenilto Silveira dos Santos e Adelino Ramos. Os três primeiros denunciavam a ação ilegal de madereiras. Eles só queriam viver e preservar a natureza! Mas os fazendeiros querem destruir e lucrar a qualquer custo!

Nossas riquezas para nossos interesses!

Vale a pena diminuir as áreas de proteção ambiental, as matas ciliares (que ficam ao redor dos rios) causando assim o assoreamento dos rios? Vale a pena jogar fora boa parte de nossa biodiversidade ainda desconhecida ao desmatar imensas áreas de mata só para atender interesses externos e de poucos barões daqui de dentro?

Não queremos ser colônia nem precisamos imitar as metrópoles. Podemos buscar alternativas, criar o nosso modelo, para atender os interesses da nossa população. Deve-se buscar um modelo mais igualitário, em que necessidades básicas, como o acesso à água e à comida, a uma moradia digna, sejam atendidas antes de pensarmos em servir outras mesas, cuja fartura foi obtida através da nossa exploração. E podemos fazer isso preservando a natureza!

1 Comentrios para este post

  1. ana carolina Says:

    é muito legal…realmente os paises desenvolvidos adquirem uma grande quantidade de lixo…porque com o desenvolvimento,nao querem mais saber destruição de recursos naturais e se preouparem com isso…querm saber de ganhar dinheiro destruindo a natureza

Deixe uma resposta