Categorizado | Vila Operária

Água, uma necessidade básica

Escrito em 01 fevereiro 2011 por admin

Há cinco anos a Vila Operária se ergue com o suor dos seus moradores. Mas pouco, ou quase nada é feito pela prefeitura de Sumaré. Em junho do ano passado foi aprovado a implementação da rede de água e esgoto, mas até o momento o DAE se esconde e nada faz.

Por isso, na semana do dia 12 de fevereiro os moradores estão se organizando para cobrar providencias.

Já se ouve por ai. “O prefeito que se cuide. Por não podemos mais esperar.”

Prefeitura precisa canalizar córrego na Vila Operária

Durante este período de chuvas diversas casas foram ameaçadas por conta da chuva e da falta de redes pluviais na região. A secretaria de obras iniciou um trabalho com aterro e diminuição do assoreamento do córrego. Mas os moradores entendem que é necessário mais. Por isso esta luta está em pauta.

Regularização pode ser feita por desapropriação

Muito se tem por fazer, de acordo com Neusa, moradora da Vila Operária. O Prefeito Bacchim prometeu uma solução. Nós sabemos que a regularização pode se feita imediatamente com o prefeito aprovando um decreto de interesse social para a posterior desapropriação. Queremos que o prefeito escute, nós não vamos desistir e ele não pode se esconder, porque nos conhecemos as leis e nossos direitos

2011: Preparar a Luta para levar a Flaskô a vitória

Os trabalhadores da Flaskô realizaram em dezembro um importante encontro discutindo as perspectivas para a classe trabalhadora e os caminhos para a vitória.

Com a presença de companheiros do MST, do MTST, do Sindicato dos Químicos, do Sintusp, de estudantes, trabalhadores de diversas fábricas.

Foi discutida a luta contra a criminalização dos movimentos Sociais. O companheiro Gegê explicou a necessidade de ampliar a unidade na construção dos comitês pelo direito de lutar. Membro da Comissão de Fábrica da Cipla, Serge Goulart explicou a necessidade de retomarmos a luta contra a intervenção na Cipla e Interfibra.

No domingo uma comissão de estudantes, artistas e trabalhadores discutiram a ampliação da luta na Fábrica de Cultura e Esporte além de organizarem para planejamento para o ano de 2011.

Deixe uma resposta